Paixão Pessoal

Quando eu tinha 5 anos, passei um dia todo pedindo para minha mãe me ensinar como era “carro” em inglês porque eu queria que essa fossa a minha 1ª palavra aprendida nesse novo idioma.

Me lembro que nesse mesmo dia, eu andava de bicicleta na rua em frente ao meu prédio, e fazia Sol, muito Sol. Eu estava bem preocupado porque teria corrida no domingo, e o Ayrton Senna (ainda no seu primeiro ano de Fórmula 1) era bom no molhado, mas no seco, o Piquet tinha mais chances. Não me lembro se choveu ou não, e muito menos do resultado da corrida, mas o fato é que a corrida não era no Brasil, e o Sol daqui não influenciaria em nada na chuva de lá (e disso eu ainda não entendia).

Com o passar dos anos, eu continuei completamente fanático por motores, rodas e gasolina, e junto com esse fanatismo, aprendi a reconhecer e apreciar o trabalho daqueles que pilotam os carros por todos os locais onde se pode fazer isso.

Ayrton Senna foi, sem a menor dúvida, o maior de todos que vi pilotando um monoposto. Graças a Deus nasci na época em que já tinha consciência suficiente para entender como ele pilotava, mas ainda era criança o suficiente para vê-lo como ídolo.

Lendo, vendo TV e vídeos, estudando e até sonhando, fui aprendendo com o Senna a fazer a coisa que mais me fascina e dá prazer nessa vida: pilotar.

Fico extremamente chateado quando vejo as pessoas (na maioria das vezes mulheres, infelizmente) encarando essa paixão por pilotagem como uma banalidade, ou coisa de moleque metido a besta que quer impressionar os outros. Até o fanatismo pelo futebol é melhor compreendido. Afinal, é a paixão nacional! O Boxe é a nobre arte, o Atletismo é o esporte da Grécia Antiga, mas automobilismo é sempre visto como aquele esporte onde um monte de bobos fica dando voltinhas e não chega a lugar nenhum.

O pior de tudo é que a Fórmula 1, que sempre contribuiu para que o esporte fosse bem visto, morreu, independentemente do desempenho dos pilotos brasileiros. E agora, a população só tende a se desinteressar mais e mais.

Já formulei muitas teorias que explicam o porquê do meu fanatismo: nenhuma outra atividade exige por tanto tempo concentração total (com o risco de iminente de morte) de uma pessoa; nenhum outro esporte trabalha com o limite de uma forma tão concreta e objetiva, nenhum outro esporte tem tantas variáveis técnicas … Apesar disso, nunca consegui convencer alguém, por palavras, do prazer inebriante da velocidade.

Só me resta portanto, apelar e se você, então, quiser entender o que estou falando, experimente acelerar seu carro, numa noite qualquer, numa estrada qualquer, com os vidros abertos, ouvindo atentamente cada ruído proveniente do motor, do atrito dos pneus com o chão, do carro perfurando o ar e sentindo nas suas mãos e pés o controle de absolutamente tudo o que estiver acontecendo. Talvez assim, esse texto lhe faça um pouco mais de sentido.

Compartilhe!

7 Comentários on "Paixão Pessoal"

  • Kris diz

    ué…pra mim faz todo sentido…hehehe…

  • Kris diz

    ué…pra mim faz todo sentido…hehehe…

  • pamela diz

    Adorei saber que essa é a sua paixão pessoal, tomara que não seja a sua primeira paixão pessoal, quem sabe um dia eu possa experimentar também aquela sensação que você descreveu.

    BEIJOS E BEIJOS!!!!!

    RICARDO ESPERO SEU EMAIL!!!!!!!!

    PAMELA

  • Me empresta sua Ferrari pra eu poder sentir tudo isso, moço???

  • Murilo Boudakian Moyses diz

    eu já fiz isso e não foi agradável. Depois do volps quero usar a Ferrari também.

  • Renata diz

    Ri,

    Que barato, o Cronistas com dois textos sobre o mesmo assunto, só que abordados de maneiras diferentes…

    Bom, eu adoro dirigir – ou pilotar, como você fala. E não é só a velocidade, é a… Sei lá, a precisão que você precisa ter para poder tirar o melhor do carro (e olha que no caso do meu Corsinha 95, 1000, não é nada fácil!). Mas acho que é uma paixão mais amadora, ou pelo menos de uma forma bem diferente da sua porque realmente não me vejo em Interlagos curtindo uma corrida… O que não me impede de, um dia, querer pilotar um kart…

    Beijinhos e vê se aparece!!!!

  • SE EU TENTAR FAZER REAL TUA PROPOSTA, CORRO O RISCO DE ANTECIPAR A APOSENTADORIA DA CARROCERIA DO MEU “POISÉ” ( CARACA, COMO É QUE SE ESCREVE ” p o i s é ” ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *