Os Bastidores de Um Texto

O Homem é um ser curioso por natureza. Seja na preocupação com a vida alheia, nos reality show’s ou numa batida de trânsito na sua frente, ninguém se rende à vontade de saber o que está acontecendo na vida de outrem. Como tudo é relativo, essa curiosidade pode ser mal vista, ou não. Ou seja, fofoca é questão de enfoque. Nas artes, por exemplo, essa curiosidade é muito bem vista por todos, e pode, realmente, gerar conseqüências bem interessantes.

Os making off’s estão se tornando quase que obrigatórios na apresentação de qualquer filme.

Um quadro, em um grande museu, pode ser acompanhado de um vídeo explicativo, onde cientistas mostram, por meio de raio-x, todos os estudos do artista antes da arte final. Ouvi um dia desses que Leonardo da Vinci pintava os ossos, músculos, pele, e finalmente roupas, tamanha era a sua preocupação com a perfeição de sua obra.

Os documentários que mostram a gravação de um disco de um cantor famoso também já são conhecidos e muitos procurados por fãs, em geral.

Já existem até programas especializados na exibição dos bastidores da produção de jogos de videogames e web-sites.

Mas como toda regra tem a sua exceção, esta não poderia ser diferente: Nunca conheci alguém fascinado pelo making off de um livro. Por mais que uma pessoa adore qualquer tipo de literatura, os bastidores de um texto não causam curiosidade, de forma alguma.

Para você, que está lendo essa crônica, pouco interessa se já comecei 6 textos completamente diferentes, e acabei chegando aqui única e exclusivamente pelo inconformismo de tal deprimente situação.

Novas histórias de Tonny e Mike; um detetive chamado O`Brian; o Azarado Norton; Ari, o maior mágico do Mundo, divagações sobre o Dia dos Namorados. Todas essas, foram idéias promissoras, que não viraram crônicas por pura incompetência, e não fosse esse parágrafo de consolação, nunca teriam seus títulos publicados.

Só espero que um dia, eu volte a terminar a maioria dos textos que escrevo. Enquanto isso, vou tentando, e o que é mais triste nisso tudo, é que nem tenho como procurar um documentário que mostre o Veríssimo passando pelos mesmos problemas na produção de um texto. Mesmo porque, ele não deve ter nada disso!

Compartilhe!

1 Comentário on "Os Bastidores de Um Texto"

  • Otávio diz

    Muito boa!

    Vai um consolo, eu penso mas nem começo a escrever, se não gostar desse tem outro maior, se me entende…

    Falou Amigão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *