Cantiga de Amigo

Eu olhava para ela totalmente embasbacado pela perfeição de suas formas.
Uma peça de precisão milimétrica, com suas formas redondas e perfeitas.
Alguém com capacidade de fazer muito mais do que aparenta, desde que bem trabalhada.

Percorrendo seu corpo, observava que força nenhuma a modificaria e que,
todo seu contorno era algo difícil de se compreender tão grande era sua perfeição.

Com meus dedos tão ávidos, não queria tocá-la com medo de quebrar seu encanto,
mas o meu fascínio se tornou tão grande, que a vontade foi maior do que o receio.
Uma vontade quase psicótica de tê-la em minhas mãos,
e por um instante que fosse, sentir-me parte daquela obra magnífica.

Segurei-a e mal pude conter meus sentimentos
Com as mãos trêmulas, toquei-a e pressionei-a
Até manchar de escarlate minha pele rija.

Subi, e enfim cheguei em sua cabeça, por pouco não soltei-a
e em qualquer parte que fixasse meus olhos me deslumbrava
com sua simetria e precisão.

Resolvi descer todo seu corpo, com cuidado tal para que tocasse-a integralmente,
e por fim fixei-me na sua última extremidade, no limite de não sentí-la mais.

Analisando-a pela última vez, me impressionei em como alguém tão meigo e delicado pudesse ser tão forte.
Suportando tantas pressões, em qualquer lugar que estivesse, lidando com quem quer que fosse.

Por fim, refleti e acabei concluindo: É … por incrível que pareça, até uma peça metálica como um PARAFUSO,
pode ser alvo de um texto poético.

Compartilhe!

3 Comentários on "Cantiga de Amigo"

  • Rafael diz

    Essa é do Veríssimo, tenho certeza. Peraí …… acho que é do Prata, não é?

    Muito boa. Pode soltar na internet com se fosse de um deles e ver o que que dá.

  • anninha diz

    Muito boa, muito boa, Ri!

    Achou e acarinhou finalmente o parafuso que tinha perdido? *rs*

    Realmente inspirado!

  • Fabiane Secches diz

    Mais uma vez, adorei. Desde o título, Cantiga de Amigo.

    Não sei se a sua intenção foi criticar um pouco do deslumbramento poético, ou se foi mostrar que o humor pode estar presente em todos os estilos e é bem vindo, surpreendente assim.

    Talvez não tenha sido sua intenção, mas o que posso dizer com certeza é vc mostrou com essa crônica que quem tem talento, consegue fazer um texto poético até sobre um parafuso!

    Mais uma vez, parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *