Da série “Talvez fosse melhor criar um pseudônimo” – Verdades Inteiras

Um casal dançando numa pista da melhor balada da cidade. Ela, linda, saltitante, com a roupa da moda e adorando tudo que vê pela frente.  Ele, normal, dançando “socialmente”, também com a roupa da moda, mas visivelmente deslocado.

ELA : Cara … Uhú, isso é tão cool!

ELE : Beleza …

ELA : Yeah! Show ! Isso não é demais!?

ELE : Não.

ELA : Sério que você não curte esses caras!? De que planeta você veio?

ELE : Do mesmo que o seu. Chama: Terra.

ELA : Olha o cara … Todo sinistro.

ELE : Sinistro é o teu passado, infeliz.

ELA : Ai … Vai me dizer que você não gosta nem um pouquinho?

ELE : Um pouco.

ELA : Sério?!

ELE : É.

ELA : Nossa! Sério mesmo?

ELE : Não, só falei que sim pra ver se você calava a boca. Deu errado.

ELA : Meu, na boa! Sente essa “vibe” …

ELE : Ok. Senti.  Posso ir embora ?

ELA : Ai, deixa de ser chato! Você não curte ficar dançando, sem se preocupar com nada, colocando toda sua energia negativa pra fora?

ELE : A única coisa que consigo pensar quando tento dançar é : “Onde eu coloco meus braços? Por favor, me tirem daqui!”

ELA : Ah, imagina! Eu adoro sair pra dançar.

ELE : Se você gostasse mesmo disso, não usava um salto desse tamanho, uma saia que não te deixa dar meio passo pro lado e esse decote que me remete a explosão da bomba de Hiroshima.

ELA : Ah, vai dizer que você tá com ciúme.

ELE : Não é bem esse o sentimento. Se pudesse, enfiaria meu rosto entre seus seios e ficaria assoprando pra fazer esse barulho, ó : Prúúúúúúúúúú !

ELA : Que comédia ! Té parece?

ELE : Esse é o único motivo para um homem como eu suportar uma situação dessas. Pode perguntar pra qualquer um aqui. Quer quer eu pergunte?

ELA : Você é tão engraçado.

ELE : O nome é : palhaço.

ELA : Ai, ai, viu?

ELE : Ai, ai, mesmo …

ELA : Nossa, olha essa música que começou a tocar agora! É demais! Adoro flash !

ELE : Na época que isso tocava de verdade, você achava um lixo, agora que é moda …

ELA : Ah, deixa de ser implicante … Na época eu era boba.

ELE : Pra você ver, até o câncer evolui …

ELA : Meu … do que você tá me chamando?

ELE : Boba. Mas é que eu sou educado.

ELA : Que engraçado! Quem vê até pensa que você tá falando sério!

ELE : Pra você ver como as pessoas não estão acostumadas com a verdade.

ELA : Então, meu pé tá doendo vamos pegar uma cerveja?

ELE : Pé … cerveja, o que uma coisa tem a ver com a outra? Vamos, claro!

E assim eles foram tomar uma cerveja, conversar mais um pouco. Enfim …

Compartilhe!

8 Comentários on "Da série “Talvez fosse melhor criar um pseudônimo” – Verdades Inteiras"

  • Rafael diz

    A velha pegada de sempre . . . . . . provavelmente uma história verídica….. hehehehe

  • pseudomarco diz

    ricardo, a simplicidade do texto pra expressar a idéia é impressionante! um compromisso descompromissado, se me permite o paradoxo.

  • marco diz

    me fez pensar que esse paradoxo começa pelo título. Genial!

  • Kris diz

    hehehe…não é fácil mesmo….

  • tsk tsk! Vc tem mania disso, Mamute! Isso saiu da minha cabeça doentia … rsrsrs

  • Verônica Almeida diz

    Aeeeeeeeeeeeeee! Até que enfim o tal Ricardo voltou…hehehe. Pensei que tinha desistido de ser cronista…

    Continue escrevendo…

    Bjão!

  • Juliana K. diz

    Gostaria muito de escrever a versão feminina desse texto…sem a parte dos seios, é claro…hehehe…

  • Juliana,

    Adoraria ler a sua versão! Mesmo que seja que tenha a parte dos seios … rsrs

    Brigado pelos comentários!

    Vamo que vamo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *