Pró-Ativos

Pró-ativos. Não tem nada (ou melhor, quase nada!) que me incomoda mais em um ambiente de trabalho do que uma pessoa pró-ativa.

Pra início de conversa, vamos definir o que é “Pró-ativo”. Segundo o dicionário (livro que, com toda a certeza, nunca foi consultado por um indivíduo desses), a definição do termo é : “adjetivo : que visa antecipar futuros problemas, necessidades ou mudanças; antecipatório” .

Para mim, “Pró-ativo” pode ter várias definições : “aquele que corre, corre, corre, mas não sabe para onde está indo”, ou, “aquele não entende uma pinóia do que se propõe a fazer mas sai atirando pra tudo quanto é lado até acertar algo que esteja se mexendo”, e ainda “aquele que atravessa todos os envolvidos em um processo para mostrar ao chefe que tem muita iniciativa”.

Já vi algumas pessoas elogiando esses seres horrendos com comentários do tipo : “fulano é um pouco precipitado, inexperiente e desqualificado para o que faz, mas compensa isso com sua atitude pró-ativa”.

Bacana! Fico me perguntando o que acontecerá conosco no dia que essa mentalidade contaminar os profissionais da saúde : “ olha, senhor, quando vi sua unha encravada, fiz um rápido benchmark de casos similares e, tipo assim, achei melhor amputar sua perna, pois nunca podemos ter certeza quando poderá estar ocorrendo uma gangrena , né?”.

De vez em quando os grandes gurus do Marketing inventam termos e conceitos que passam a ser seguidos por muita gente sem critério (pra ser extremamente educado), e cada vez mais, essas pessoas são levadas a sério, apenas por estarem seguindo tais “leis”.

Minha avó (grande sábia, diga-se de passagem) sempre me disse : “ PENSA antes de falar, meu filho!”, e como eu sou um neto muito obediente sempre levei essa lei muito a sério; mas vejo que a sabedoria milenar dos touros “Miura” (raça utilizada na Espanha, para as touradas, corrida de touros, etc) é muito mais bem vista hoje em dia, do que os ditos de minha querida avó : “Se o pano vermelho mexer, fecha os olhos e corre que nem um doido pra cima dele, que um dia você vira gerente, meu filho!”.

Que bom seria se as pessoas fossem incentivadas a pensar antes de tomar uma atitude. E quando tomassem, o fizessem por convicção e não por medo ou insegurança. Mas do jeito que vamos, o ambiente de trabalho vai, cada vez mais, se tornar um programa de auditório, onde quem apertar o botão vermelho antes pode responder a pergunta, e acertando ou errando, vai se dar bem por estar no foco de atenção de todos.

Eu, sinceramente, repasso.

Compartilhe!

11 Comentários on "Pró-Ativos"

  • Verônica Almeida diz

    Aeeeeeeeeeeeeeeeeeee! O Ricardo voltou a ativa…

    …E começou o ano muito bem, por sinal! Meio irritado, irônico e bem-humorado. Esse é o cronista que eu conheço.

    Bjos!

  • Kris diz

    just do it!

  • Leopoldo diz

    Uma sábia frase que aprendi “A pro-atividade é inimiga da produtividade”.

  • malena diz

    Essa crônica me lembrou de expressões q o cliente aprendeu e agora sempre pede nos layouts: “…está faltando um call-to-action, um apetite-appeal…cadê o recall??…vamos dar um up to date…Quero ver o follow up depois”

    Não agüento mais!

  • Murilo Boudakian Moyses diz

    Ae Mamute!

  • Paula diz

    Concordo em gênero, número e grau com você Leopoldo.

    Ah, e antes que eu me esqueça: muito bom o trecho dos profissionais da saúde, Ricardo!

  • Prefiro as falas ás claras, do que esta enrolação que me lembra uma melhorada naquele frase :

    “O poblema cum seu carro Madama, é que a rebinboca da parafuseta num coiso cum o anel de disco de freiu, inda por cima tem mau-olhado ai drento Cruiscrécoiórroró!”.

    Como consumidora que sou, e altamente sensivel á campanhas publicitarias reinvindico um dicinario de traduções de publicitês e afins.

    Agradeço em nome do SAC- Serviço de Atendimento aos Chatos- do qual faço uso mesmo quando não preciso!

    (Ah!em tempo:parabens pelo texto!)

    abreijos

    Mára Pezzolo

    Este negocio de

  • Juliana K. diz

    Putz, o pior é que isso virou uma filosofia de vida! De acordo com o meu chefe existem 4 tipos de pessoa: o inteligente ativo, o inteligente passivo, o burro ativo e o burro passivo. Quando ele me perguntou qual eu achava pior, eu disse o burro ativo e ele ficou com uma cara de interrogação…”não seria o burro passivo?!” Para mim não, porque o burro passivo pelo menos sabe que é burro e fica na dele, o burro ativo é aquele que quer mostrar que sabe (embora não saiba de nada) e sai falando besteira torto à direito. Este último, para mim, é o tal do pró-ativo…profissional do futuro!

  • Juliana K. diz

    Tá, não quis dizer que concordo que só existam 4 tipos de pessoas e quando eu digo “burro” leia-se simplesmente ignorante, aquele que ainda tem muito a aprender na vida.

  • Vandreza diz

    Hahaha… vou mandar este texto pro pessoal da GV… hahaha morri de ri com a história dos médicos pró-ativos!!!

  • liliane diz

    pro-ativo não é agir com irresponsabilidade como vc está escrevendo… verdadeiro pró-ativo é aquele funcionário que estuda muito a sua área de atuação e outras matérias paralelas que ajudam a agir com etica. O caso do médico próativo que voce cita, ele nao está sendo ético e nem responsável! …vejo que voce nao entendeu o espírito da coisa….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *