O Silva em : “Assistência Técnica”

A televisão de casa nunca mostrou grande afeição pela minha pessoa. Desde que a comprei, digo, peguei emprestada na casa do primo Vitinho, parece uma criança no seu primeiro dia de escola. Toda vez que eu tento assistir algo, ela bate o pé e chora.

Desta vez, levei 40 minutos para começar a assistir uma partida da Seleção. Meus argumentos sempre são atordoantes. No final eu sempre venço.

Para um tele-espectador mais desavisado de nada adiantaria ter a “TV Senado” como única opção. Mas sou sagaz. Tenho 1,79 m. Consigo facilmente deduzir o placar do jogo vendo a movimentação no plenário.

Futebol não é futebol sem uma boa cervejinha, então fui até a cozinha para ver se ainda guardava alguma latinha, usada que fosse, para fazer o clima de Copa enquanto assistia a assembléia, digo, o jogo. Nessa trajetória me lembrei que havia emprestado a TV do meu querido primo há menos de um ano. Se ela ainda estivesse na garantia, eu ganharia força nas minhas ameaças para as próximas negociações.

Liguei então para o Vitinho, querendo perguntar sobre a data de compra do temperamental aparelho, embora duvidasse que meu querido primo recordaria do empréstimo. É um homem com um coração enorme, as pessoas acabam sempre abusando dele.

– Ô Vitinho, tudo bem com você, queridão?

– Alô … quem fala?

– Que vergonha você não reconhecer a voz do seu primo mais querid-

– Desgraçado! Silva é você! Cadê a minha TV?!

– Não precisa vir com indireta, Vitinho. Deixa eu tentar adivinhar o que você está querendo: Você quer saber como vai a nossa TV, não é isso?!

– NOSSA!? Como assim, NOSSA?! Eu não quero saber como ela vai, não! Eu quero ela de volta! Seu safad-

– Vitinho, lembra que eu trouxe ela pra casa pra testar a voltagem. Expliquei muito bem pra tia Eulália, sua mãe, que era melhor testá-la em uma casa que tivesse a corrente 110v.

– Seu vigarista duma figa! Eu moro no centro da maior cidade do pais ! Como minha casa vai ter outra voltagem!?

Vitinho continuava o mesmo fanfarrão de sempre.

– Com todas essas samambaias, Vitinho? Você não sabe que no campo a voltagem é 220v?

Eu sempre cuidei muito bem das coisas da minha família.

– Campo ? Se eu moro no campo, então você será o próximo Nobel de Ciência, seu energúmeno ! O que você quer dessa vez ?
Caso eu fosse um homem sensível, algumas vezes poderia me magoar com as brincadeiras do Vitinho a meu respeito. Mas sou um Silva. E os “Silva” são fortes. Uma família pequena precisa dessa força para sobreviver.

– Na verdade eu só liguei pra saber se você está bem. Se Tia Eulália tomou os remédios dela, e se eventualmente, a TV ainda está na garantia …

-Silva, é o seguinte! VAI PRA PUTA QUE O PARIU!

-Olha, Vitinho. Eu tou meio ocupado, não posso ir pra lá agora.

-Você quebrou minha TV?! É isso!? Puta que o pariu … Parente se fosse bom não era obrigação! Ô Karma maldito!

Às vezes o Vitinho (garoto mimado pela mãe, sabe?) se exalta com bobagens e acaba perdendo a razão. Os outros familiares não tinham nada a ver com essa história. Fico muito triste ao ver ele falando mal de entes queridos.

-Seguinte … eu vou desligar agora, porque o jogo está acabando e eu gostaria muito de descobrir o placar.

-Jogo?! Está tendo jogo agora?

-É sim, da Seleção. Você não tem TV em casa?

-Ah PRIMO, seu FILHO-DA-P-

Achei melhor desligar. Não tolero que ofendam meus parentes, nem de brincadeira!

Mesmo que a TV continue temperamental, achei melhor voltar para o meu jogo e deixar o Vitinho fora dessa história. Ele nunca soube lidar com aparelhos eletrônicos.

Nota do Autor: O Silva é um personagem que surgiu “involuntariamente” em uma crônica chamada “Sala de Espera” e assim que tiver mais histórias interessantes deve passar por aqui.

Compartilhe!

3 Comentários on "O Silva em : “Assistência Técnica”"

  • Kris diz

    Uhuuuu. Fã do Silva número 1.

  • diz

    Silva, o desprazer é todo nosso.

  • Murilo Boudakian Moyses diz

    Sila rules! Será que ele é de Ituverava?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *