Aêêêêêê…

— Aêêêêêê !!!
— Porra, o que é que está acontecendo no 104?
— Sei lá, deve ser uma festa daqueles peruanos…
— Aêêêêêê !!!
— Brincadeira, esse pessoal não pára de gritar. Será que é aniversário de alguém?
— Pode ser. Ou é só uma festa mesmo, comum.
— Como assim? Festa comum? Existe festa comum? Pra mim só tem aniversário, ou comemoração de alguma coisa, ou alguma festa “festa”. Não existe festa comum.
— Aêêêêêê !!!
— Claro que existe! Você chama seus amigos, todo mundo se reúne, ficam felizes, a festa começa, e aí…
— Aêêêêêê !!!
— Ah, mas aí não é “festa”. É reunião de amigos. Pra ser festa, tem que ter alguma coisa diferente. Por exemplo, esses aí do 104…
— Aêêêêêê !!!
— … só podem estar comemorando alguma coisa. O campeonato da Colômbia, por exemplo.
— Ué? Mas eles não são peruanos?
— Sei lá. Podem ser colombianos, também…
— Aêêêêêê !!!
— Sejam peruanos ou colombianos, eles podem estar fazendo uma festa comum, ué, dos amigos latinos, certo?
— Mas aí não seria uma festa comum, entende? É uma festa “diferente”, especial, “dos amigos latinos”.
— Aêêêêêê !!!
— Não concordo. Eles são amigos entre si, por isso pode ser uma festa comum.
— Como você disse, “pode ser”. Mas não é, porque eles estão gritando…
— Aêêêêêê !!!
— … toda hora. E isso só pode ser comemoração.
— Mas também pode ser uma festa comum, pode estar rolando um concurso de tequila, ou então dançando aquelas músicas e tentando passar por debaixo do cabo de vassoura sem cair, ou estão fazendo uma outra bobagem tradicional do Peru…
— Ou do Chile…
— Do Chile?
— Aêêêêêê !!!
— Cara, essa gritaria já está me irritando. Vou lá falar pra eles pararem de gritar, já passou da meia-noite!
— Não esquenta, fica na sua…
— Duvido muito que eles vão parar sozinhos. Do jeito que esses bolivianos são folgados…
— Aêêêêêê !!!
— Bolivianos? Até agora pouco não eram chilenos?
— Não, ou peruanos, ou sei lá. O que me importa é que eu não aguento mais!
— Relaxa, rapaz. Como você se sentiria se aparecesse algum chato de outro país pedindo pra você terminar a festa?
— Pôxa, mas alguma hora essa comemoração tem que acabar!
— Comemoração? Por que você insiste com isso?
— Aêêêêêê !!!
— Olhaí! Tá vendo? Eles não páram de comemorar alguma coisa! Devem estar saudando o aniversariante, sei lá…
— Aniversariante? Tá maluco? Ninguém grita tanto assim pra um aniversariante. Nem pra uma final de campeonato. Se fosse uma final de basquete…
— Aêêêêêê !!!
— Vou matar esses paraguaios!
— Calma…
— A próxima vez que eles gritarem, eu juro que eu vou lá e acerto a cara de algum muchacho. Espera só, que agora eu quero ouvir eles gritando !
— Calma !
— Vamos, gritem seus cucarachos !
— Fica frio…
— Gritem !!!
— Relaxa…
— Ué?
— Ué!
— Pararam?
— Pararam !!!!
— Maravilha. Finalmente podemos jogar em paz, então.
— Ótimo !
— Truuuuuuuuuuuuuuuuuuco ladrão !!!
— Seeeeeeeeeis !!!

Compartilhe!

1 Comentário on "Aêêêêêê…"

  • André Martins Favarin diz

    pois é, isso me faz lembrar o quanto eu, você e nossa turma já não atrapalhou os outros. Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *