Genes

Acontece desde a ameba primordial: códigos de DNA entram em mutação, incorporam-se aos descendentes e são responsáveis, dizem, pela fama do Darwin no mundo todo. Esse esquema de evolução favoreceu muito o homem, apesar de alguns problemas pontuais, como o apêndice e a preguiça depois do almoço. As feministas acham que a humanidade já atingiu o pico da evolução quando as mutações deram à mulher o gene do sexto sentido. Mas tem algo mais importante do que isso no código genético. O gene DUAM.

Todo homem já sofreu o poder do DUAM, mesmo que não saiba o que significa. O DUAM vem acoplado naquela pontinha do cromossomo X que só as mulheres têm, entre o gene do sexto sentido e aquele que faz toda mulher parecer mais gorda do que é na frente do espelho.

O Detector Universal de Ambigüidade Masculina (DUAM) é terrível. Ele pode entrar em ação a qualquer momento, e o que é pior, sua intensidade pode ser multiplicada pelo fator Murphy. É difícil saber quando o DUAM vai atuar. Ele pode ser detonado a partir de uma frase simples, banal, numa sexta qualquer:

— O que faremos esta noite, querido?
— Ahnnn… não sei… que tal sairmos com o pessoal?
— Com eles? Por quê? Você não gosta mais de ficar só comigo, é isso?

Pronto. O DUAM já entrou em ação. Daí em diante, até a segunda-feira seguinte, toda frase será analisada, discutida e reverberada. Qualquer traço de ambigüidade é fatal. E de nada adianta tentar corrigir:

— Não, imagina! A gente pode curtir um jantarzinho juntos também…
— Ah, agora você quer sair comigo. Você não acha que a gente está assim, muito grudados? Toda hora saindo juntos. E a nossa individualidade? Logo quando a gente começou, no inverno de 1993, não tínhamos combinado que cada um teria o seu próprio espaço? Hein?
— Calma, amor… pra mim, a gente pode sair com todo mundo, ficar aqui, ou fazer um programinha juntos. Por mim, tudo tá bom.
— Então é assim? Você é um idiota, isso é o que você é! Não tem nem opinião própria!

Não tem jeito. Geneticistas, analisando o caso, chegaram à conclusão de que a melhor resposta seria algo do tipo “Não importa o que faremos, amor, o que importa é que você é especial para mim em todos os momentos e o que quero é estar ao seu lado. Você merece flores”. Esses cientistas reiteram que a frase “você merece flores” deve ser utilizada em qualquer ocasião, como forma de burlar o DUAM. Alguns deles, inclusive, estão usando esta técnica em casa. Os amadores continuam sofrendo:

— Engraçada essa história de casais que dizem “vamos dar um tempo”, né querido?
— Pois é… nunca ouvi falar de alguém que deu tempo, sempre foi pra terminar mesmo.
— Ou então “preciso falar com você”.
— Hahaha… é… e tem também o terrível “discutir a relação”.
— Como assim? Você não gosta de discutir a relação?
— Nã-não, linda, não é isso… é que discutir a relação nunca é pra coisa boa, sempre é por causa de algum problema e…
— Ah, então quer dizer que, se a gente tem um problema no nosso relacionamento, é melhor deixar pra lá?
— Calma!
— Você nunca me entende, né? Por que age assim? Desde o começo, eu sabia que…

E por aí vai. Portanto, cuidado. O homem não pode responder banalmente a uma pergunta feminina banal. Cada comentário, cada resposta, cada olhar descuidado é um potencial catalizador. Talvez um dia o homem desenvolva um gene anti-DUAM. Mas vai ser difícil esperar por esses milhões de anos. Onde está a biogenética quando precisamos dela?

Compartilhe!

16 Comentários on "Genes"

  • Camila diz

    Isso quer dizer que vc não gosta de ficar mais só comigo? Eu já desconfiava.

    Precisamos conversar … Se é que vc quer né. Pensei que gostasse de discutir a relação, sempre fica tão animado.

  • Camila diz

    Brincadeira Rô. Parabéns pela crônica, ficou ótima!

    E por acaso vc pensa que não existe o DUAF?

  • Rafael diz

    Demorou mas saiu. Valeu a espera.

  • animadíssimo… :p

  • Gabis diz

    Divertido Volp´s!

  • Murilo Boudakian Moyses diz

    Volponi, valeu a pena esperar. Ficou muito engraçada.

  • Ricardo diz

    Muito bem! hehehe

    Um homem que consiga se defender do DUAM vai dominar o mundo! Muito boa … hehe

    Esperamos que vc volte à ativa, de vez!

  • anninha diz

    Muito boa mesmo, Volp!

    Adoro discutir a relação (dos outros)… é o maior barato! Adoro o tema, genética, comportamental ou psicologicamente!

    Acho que o Murilo é um dos cientistas que achou uma forma de burlar o DUAM, como demosntrado em “Flores”.

    Bom te ler de volta!

  • Fabiane Secches diz

    Concordo com o Ricardo quando ele diz que um homem que consiga se defender do DUAM vai dominar o mundo!

    Confesso que somos mesmo complicadas… parabéns pela crônica!

  • Dani diz

    Ótimo Volps. Tenho usado muito meu DUAM.

  • seu primo físico diz

    Meu porco,eu adorei! CAra donde c tirou essa de DUAM? PArabéns!

  • Simoneh diz

    Nunca achei graça qdo a piada da mesa era esse papo de como os casais se falam e se entendem…

    Eu sou passionalíssima e sempre achava q era comigo.

    No caso do teu texto eu ri muito. Apesar ou por causa do tom. Vai entender…

    Beijo,

    muito bem escrito.

    Simoneh

  • Ricardo Alter diz

    Eu tenho namorada e ela navega essa site… portanto vou ter que ficar apenas nos: “PARABÉNS VOLPS”!!! Karen, não é nada disso que vc tá pensando!!!

  • Karen diz

    Peraí! O que vc pensou que eu pensaria???? Ou o que eu deveria ter pensado, já que você falou sabendo que eu pensaria isso???

    Quer dizer… ah! Deixa pra lá! hahaha…

    Muito legal, Volponi. Adorei!

  • Jacaré diz

    Espetacular!

    Você poderia escrever virar o redator titular de Os Normais.

  • Jacaré diz

    Esta sempre foi minha favorita. Que saudades. Que saudades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *