Ponto Revelador

Quantas variações vocês conhecem sobre o famoso ditado “diga-me com quem andas e direi quem és”? Aqui está mais uma – e picareta ao extremo. Mas não estou nem ligando. Este é o primeiro passo para a redação de minha vasta obra no campo da auto-ajuda. Com ela, espero auto-ajudar a mim mesmo, multiplicando meu pecúnio até níveis inimagináveis. Chega dessa baboseira de querer ser escritor para compartilhar profundas lições de vida, contribuir para a educação do povo, mudar a realidade social ou qualquer outra asneira. O que importa mesmo é dizer o que as pessoas querem ouvir, não o que elas precisariam saber.

A chave do meu sucesso está num ponto: . Sim, esse mesmo, o ponto final. Vocês podem não ter reparado, mas aí está ele, impávido, irrepreensível, sempre digno de toda nossa confiança, a terminar todas as frases escritas. Até mesmo uma supérflua como esta. Ou inútil como esta. Ou curta assim. Só. Bastava olhar para ele, mas ninguém jamais o havia feito até agora. Devo o mérito dessa sacada de gênio ao meu querido amigo e primo dileto Paulo. (Obviamente, eu me lembrarei dele quando estiver no topo de meu império da auto-ajuda.) Como toda idéia de sucesso, esta começa muito simples: representar a personalidade das pessoas através dos sinais de pontuação. “Diga-me como pontuas e direi quem és”.

Por exemplo, o ponto ( . ) . Tão discreto. Tão ambivalente. O ponto pode ser a expressão de uma angústia acachapante. Que suga as energias do indivíduo. Faz crer que ele é insignificante. Ou não. Pode representar uma confiança cega. Daquela que despreza o passado. Que se lança em direção ao futuro. Sem temer o que pode acontecer. Você que prefere o ponto. Seu caráter pode oscilar entre esses extremos. Cabe a você identificar a onda do momento. Agir conforme ela.

Os dois-pontos ( : ) revelam uma personalidade meticulosa: chega a ser detalhista, perfeccionista. Sua exigência pode atingir extremos: nesse caso, torna-se inconveniente para o convívio social. A pessoa acometida de dois-pontos tende à petulância: pede dos outros uma exatidão que eles não podem atingir. Logo, atenção: o inconformismo com as soluções vigentes não pode torná-lo um permanente insatisfeito.

A vírgula ( , ) , por sua vez, é um sinal inequívoco, expressão de um temperamento exuberante, mas que resvala com freqüência para a verborragia, a atitude precipitada, o que leva o sujeito a descuidar da organização, a acrescentar novas orações, produzindo acumulações desnecessárias, arriscando perder o nexo gramatical. Amantes da vírgula, precavenham-se, aprendam a desfazer-se do excesso, não deixem que sua ânsia por correção prejudique a clareza de sua mensagem.

Já o ponto-e-vírgula ( ; ) exprime complexidade; traduz a hesitação da pessoa que está constantemente pondo em dúvida suas escolhas; representa a condição do indivíduo que hesita entre a certeza de seu livre-arbítrio e as restrições que lhe impõe o destino; se você adota o ponto-e-vírgula, tem provavelmente dificuldades em lidar com opções; examine a si próprio; verifique se sua oscilação se deve ao desejo de agradar a todos, pontos e vírgulas; você tem talento para ouvir opiniões diversas e solucionar conflitos; porém, se seu caráter se mantiver “em cima do muro”, sua personalidade pode tornar-se tímida e apagada; se não controlar seu espírito conciliador, só conseguirá tomar decisões em situações extremas.

Os outros sinais se prestam a interpretações mais corriqueiras. Querem saber do ponto de interrogação ( ? ) ? Ele é, obviamente, característico de um temperamento inquisitivo, crítico, sempre atento às contradições do discurso e às incongruências da realidade, certo? Os adeptos do ponto de interrogação devem evitar parecer cínicos, afinal, quem suporta tanto questionamento?

Quanto ao ponto de exclamação ( ! ) é o símbolo do indivíduo contemporâneo, seguro de suas capacidades criativas, que se projeta para o alto em direção aos domínios inexplorados do pensamento humano! Quando ele se repete ( !! ) , temos a marca de um caráter particularmente empreendedor e de um humor exuberante!! Acompanhado do ponto de interrogação ( ?! ) , denota uma inteligência fora do comum, capaz ao mesmo tempo de questionamento racional e de paixão pela vida empírica; mas quem já viu alguém com tantas qualidade reunidas?!

Poderia ainda falar do hífen ( – ) , do travessão ( – ) , das aspas ( “ ” ) , das reticências ( … ) ; mas não vou continuar, pois acho que vocês já entenderam, correto? Contudo, muitos outros segredos são revelados pelo estudo da pontuação… Nos pontos reside o caminho para o auto-conhecimento, chave de uma vida mais plena e feliz! Se vocês quiserem saber mais, aguardem a publicação da minha obra: ela terá um impacto profundo em nossas vidas, sobretudo na minha – porque conselho de graça, nunca mais.

Compartilhe!

2 Comentários on "Ponto Revelador"

  • diz

    Meu sinal preferido são as três vírgulas: ,,,

  • Aires Bento Pereira Filho diz

    Caro cronista,

    Vírgulas. Devo evitá-las. Abusarei agora de pontos. Vírgulas produzem “acumulações desnecessárias”.

    “Amantes da vírgula, precavenham-se, aprendam a desfazer-se do excesso, não deixem que sua ânsia por correção prejudique a clareza de sua mensagem”.

    É…, meu caro, uma oração intercalada tem de vir entre vírgulas, claro. Mas “precavenham-se”?

    Achei ótimas as lições sobre pontuação. Gostaria agora que você falasse sobre conjugação verbal.

    Mas não me venha com ponto de exclamação acompanhado do ponto de interrogação.

    Desculpe-me; não resisti.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *